N E T S O U R C E

Carregando

Orçamento para projetos

Uma boa gestão de custos é fundamental para garantir a organização empresarial e o sucesso de um negócio. Não importa o seu tamanho ou setor de atuação, ter um orçamento de projetos bem definido é imprescindível para que a empresa consiga sobreviver e gerar lucro.

Sem saber quanto vai gastar com cada despesa ou projeto, o responsável pela gestão de negócios, na prática, nunca saberá se as coisas estão, de fato, indo bem. Além disso, ter tudo planejado na ponta do lápis é uma das melhores formas de diminuir os riscos e mudar de rumo durante o processo, caso seja necessário.

Separe cada tipo de despesa

Primeiramente, o responsável pela gestão de custos deve sempre ter em mente que nem toda despesa é igual. Tem que identificar, calcular e separar todos os gastos. Existem algumas formas mais comuns para fazer essa classificação e garantir um bom orçamento de projeto.

Custos diretos e indiretos

Os custos diretos, como o nome já diz, estão diretamente relacionados com a execução de determinado projeto ou a produção de um item específico. Em seguida, listamos alguns exemplos que podem se encaixar nesta definição:

  • Matéria-prima;
  • Mão-de-obra da fábrica;
  • Empresa terceirizada contratada para executar determinado projeto;
  • Maquinário;
  • Contas de água e luz da fábrica;
  • Imposto referente à venda específica de determinado produto.

Enquanto os custos indiretos tratam do funcionamento da empresa como um todo. Eles não têm relação com um produto ou um projeto específico. Normalmente se dilui estes gastos no preço de cada item vendido ou serviço prestado. Não dá para simplesmente dizer que, se o gasto com matéria-primeira foi de R$5, mas o produto foi vendido a R$10, então o lucro foi de R$5. 

Afinal, todos esses gastos indiretos também saem do caixa da empresa e tiram parte da margem de lucro. Por isso, precisam ser considerados no orçamento. Algumas despesas que podem se encaixar no contexto de custos indiretos são:

  • Salários da equipe administrativa;
  • Demais gastos com pessoal;
  • Aluguel do escritório ou sede da empresa;
  • Material de escritório;
  • Investimento em propaganda;
  • Serviços de telecomunicações, como telefonia e internet.

Custos fixos e variáveis

Portanto, além de identificar gastos diretos e indiretos, também é preciso ter clareza sobre quais são fixos ou variáveis. Por exemplo, o serviço de internet normalmente é pago por mês e o valor é o mesmo independentemente do consumo ou se ela é usada em vários projetos. Portanto, trata-se de um custo fixo.

Por outro lado, a conta de luz de uma fábrica pode variar bastante se o turno de trabalho for de 8, 12 ou 24 horas, por exemplo. Neste caso, trata-se de um custo variável, que pode aumentar ou diminuir com base no volume de produção.

E como fazer o orçamento para projetos?

Finalmente, quando o responsável pela gestão de custos definiu e projetou os valores a serem gastos com cada despesa e classificou cada um deles, vem a parte de organização e acompanhamento. Aí então, o uso de um software de gestão normalmente faz toda a diferença.

Não basta apenas colocar cada gasto em uma planilha. É preciso, entre outras coisas, que se tenha clareza sobre o tempo de execução de cada projeto e como cada despesa se encaixa dentro de cada prazo. Além da necessidade de ter métricas bem definidas para acompanhar a evolução dos projetos e dos custos e se tudo tem saído como o planejado.

Um software de gestão também pode te ajudar a identificar em que pontos é possível cortar gastos. E, além disso, trabalhar melhor aquelas despesas se enquadram em mais um projeto. Por exemplo, quando o mesmo escritório atende às necessidades de vários setores diferentes da empresa e, portanto, exige que os custos sejam divididos entre cada setor.

Sem esquecer que o bom gerenciamento de projetos prevê, inclusive, mudar de rumo caso surja alguma ameaça ou oportunidade no meio do caminho. Igualmente ter todos os gastos documentados e poder acompanhar a evolução dos projetos e das despesas em tempo real é fundamental para garantir uma boa tomada de decisão.

Conclusão

Dessa forma, faça um levantamento cuidadoso de todos os gastos da empresa. É importante que seja desde o menor, como a despesa com cafezinho, ao maior, como a compra de um imóvel. Se for o caso, separe por projeto. Faça, ainda, uma projeção de gastos para os meses seguintes, coloque tudo no software de gestão e monitore o avanço das despesas para garantir que está tudo certo.

Tenha certeza de que ficará muito mais fácil manter o controle, eliminar gastos desnecessários, ver onde a empresa perde dinheiro e maximizar os lucros. Sem falar que a tomada de decisões como ampliar a equipe ou aumentar a produção de uma fábrica será bem mais assertiva.

Posts Relacionados